5 razões pelas quais o Lolla desse ano pode ser o melhor de todos

O Lineup do Lollapalooza foi liberado nessa semana e o alvoroço começou. A ideia de frequentar um festival de música alternativa tão completo como o Lolla já é excitante em si, mas esse ano a curadoria caprichou, a variedade dos sons e a qualidade das bandas escolhidas deixou todo mundo no chão, contando as moedinhas desde já para não perder esse evento. O porquê a gente explica abaixo…

A máquina e os diamantes

 Marina and The Diamonds 

Marina and The Diamonds 

O pop alternativo está fervendo no Lolla desse ano, com a consagrada Florence and The Machine, que dá as caras após lançar o novo álbum How Big How Blue How Beautiful, no primeiro semestre desse ano. A tão esperada Marina and The Diamonds, após deixar os fãs desolados por não comparecer ao festival no ano passado, promete que #agoravai. As duas, suas máquinas e seus diamantes, tem fama de encher o palco com performances eletrizantes, já famosas pelo mundo todo, e são duas das mais esperadas atrações desse ano. Venham, que mais um balão a gente não aguenta não, Marininha.

Punk is not dead

 Bad Religion

Bad Religion

Ainda há espaço para o rock nos festivais nacionais, mais especificamente para uma vertente punk rock, jovem e agitada, que grita rebeldia. A grande atração é o Bad Religion, que vem direto dos anos 1980 para eletrizar 2015, lembrando os bons tempos de American Jesus. Matanza, com seu som pesado, sujo e gutural, também aparece celebrando a essência de sexo, drogas e rock’n roll, para ninguém esquecer do que são feitos os festivais.

A viagem

 Gramatik

Gramatik

A equipe confessa que houve um grito inesperado no meio do expediente quando o nome Gramatik apareceu na lista de confirmados no Lolla 2016. O DJ nova-iorquaino é destaque no ramo da música instrumental, com influências hip-hop e soul pesadíssimas, que nos levam em uma viagem para dentro da música. Além dele, a trip também fica por conta de Flosstradamus e do quarteto mineiro do Funky Fat, todos focados em uma sonoridade trabalhada cheia de groove.

O rap (e os brazucas representando)

 Emicida

Emicida

Emicida e Karol Conká estão em todas as listas de novos nomes do rap mundial que você possa imaginar. O sucesso da batida fina com as letras intensas desses dois já ultrapassou as fronteiras há muito tempo e agora chama os conterrâneos a curtir o som no Festival ao lado de grandes nomes internacionais, como Eminem e o sempre marcante Snoop Dogg. Olha a responsa!

O sossego

 Mumford and Sons

Mumford and Sons

Depois de fritar o seu cérebro com tanta atração insana, vamos agora concordar em admitir que a calmaria é necessária para dar conta de dois dias de Festival. Mais do que isso, as atrações responsáveis pelo lado mais romântico do rolê foram muito bem selecionadas: Alabama Shakes, Mumford and Sons, Of Monsters and Men e Noel Gallagher's High Flying Birds são alguns dos destaques no ramo de jazz, folk e pop. É até um pouco difícil definir algumas bandas, mas garantimos que a qualidade dos arranjos e a beleza das vozes que compõe esses grupos são impossíveis de passarem despercebidas.

Para quem já conhece, um grito de amor, para quem ainda não conhece, romance a vista. O Lolla desse ano caprichou nas atrações, concebendo um festival capaz de agregar a todos e apresentar novos sons a quem ainda não está por dentro do altíssimo nível musical dos escolhidos. Ao que parece, realmente, ninguém sairá o mesmo do Lollapalooza 2016.