Os “meses coloridos” e a nossa saúde à prova

Chega essa época de final de ano, principalmente o último trimestre, e nos deparamos com várias campanhas na TV, rádio e outdoors dando o merecido destaque aos meses que levam cores e reforçam a prevenção de doenças com altas incidências no mundo. São elas: Setembro Amarelo (suicídio), Outubro Rosa (câncer de mama) e Novembro Azul (câncer de próstata).

Esses meses recebem atenção especial para conscientizar a sociedade dos cuidados com a saúde e o combate a essas enfermidades, mas é sempre bom ressaltar que tem aí o resto do ano inteiro para fazer check ups e exames de prevenção. Então, se você detectar qualquer corpo estranho em você ou, no caso do suicídio, conhecer alguém com tristeza profunda e comportamentos agressivos (mais sintomas abaixo), procure ou ofereça ajuda! Vá ao médico especialista ou ofereça amparo a esse amigo/conhecido, porque o quanto antes agirmos, mais fácil será se livrar do problema.

NOVEMBRO AZUL

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a cada ano no Brasil são diagnosticados mais de 61 mil homens com câncer de próstata, convertendo em média 13.700 vítimas fatais. No mundo, é a terceira maior causa de morte no sexo masculino, atrás do câncer de pulmão e colorretal. Ainda rola muita desinformação e preconceito que resultam em constrangimento, brincadeiras bem idiotas que povoam o imaginário popular envolvendo o exame mais simples e eficiente, que é o toque retal.

Considerando que 60% dos homens acometidos pela doença se encontram na faixa etária entre 40 e 59 anos de idade, chega no seu pai e avô e pergunte na boa se ele já foi ao urologista, apresente números, acompanho-os ao médico se for o caso. É importante e se for detectado precocemente e iniciado o tratamento no início, há mais chances de curar e de menos sequelas posteriores.

OUTUBRO ROSA

Basicamente, são três fatores que evidenciam o alto índice de câncer de mama no mundo:

- o envelhecimento da população, já que o aumento dos anos vividos pode expor a mulher a mais doenças, entre elas, o câncer;

- a detecção precoce, principalmente em países onde as políticas públicas de conscientização funcionam;

- o estilo de vida. Evitar o tabagismo, excesso de bebida alcoólica, alimentação pesada, etc.

Deve-se atentar para a importância de fazer o autoexame. E qualquer nódulo que vocês sentirem, meninas, vá ao médico e faça o exame de mamografia. O rastreamento é eficaz e tem impacto positivo na sobrevida das mulheres. Só pra citar, algumas guerreiras que saíram dessa foram Elba Ramalho, Brigitte Bardot e Kim Gordon, ex-Sonic Youth.

SETEMBRO AMARELO

Em maio deste ano, a cena musical perdeu um de seus maiores talentos para o suicídio. A morte de Chris Cornell foi recebida com espanto por todo mundo. Aí, dois meses depois, tivemos outra vítima: Chester Bennington, do Linkin Park. Muito triste... O suicídio é um gravíssimo problema de saúde pública mundial e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 1 milhão de pessoas cometem suicídio, e o Brasil ocupa o oitavo lugar nesse ranking. Ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, é a quarta maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos em nosso país. Tsc.

É possível identificar a ideação suicida por alguns sinais, como apatia, isolamento social, frustração, depressão e baixo autoestima. E o que podemos fazer? Podemos ajudar de diversas formas, como estreitar laços de amizade, ser uma referência de proteção e indicar serviços profissionais. Aqui estão os 4 passos básicos caso você se deparar com alguém próximo e que identifique tendência suicida: Observar, Perguntar (“por que você está assim? O que está acontecendo com você?”), Escutar (sem críticas ou julgamentos) e Oferecer Ajuda (“Você quer desabafar? Você sabe que pode confiar em mim, né?” ou “O que posso fazer pra te ajudar?”)

Para todos esses casos, os cânceres e o suicídio, podemos mudar as estatísticas e salvar algumas vidas. Faça a sua parte! ;)