Séries canceladas, histórias pela metade

A regra é muito simples: se não atingir as expectativas de audiência, é caixão e vela preta. Pra quem pensava que Hollywood era tirana somente no cinema, saibam que os profissionais envolvidos com as produções feitas para a TV vivem com a corda no pescoço. Se determinada série não causa tanta empatia com o público ou não registra números satisfatórios no ibope, os executivos das emissoras estão 100% nem aí com quem assiste, ordenam cancelar – algumas vezes abruptamente, nem concluem a trama – e convocam o próximo roteirista da lista com uma ideia na cabeça para preencher a programação. Tudo isso sem peso na consciência.

Foi o que aconteceu, por exemplo, com “The Good Wife”. Sucesso absoluto da TV aberta, faltavam 9 episódios para o desfecho da 7ª temporada e rumo para a 8ª, aí do nada, os autores forçaram uma season finale medíocre a mando dos chefões de terno e gravata da CBS, encerrando a trama de forma incompleta para a insatisfação de quem assistia. Bem tenso, porque depois de 6 temporadas excelentes chefiadas pela atriz Juliana Margulies, a última foi puro dessabor, uma decepção. 

Bom, nem vou comentar o caso de “Hannibal”, outro desrespeito com o telespectador...

As últimas vítimas da vez que tinham público fiel e que foram limadas foram o thriller inspirado “Penny Dreadful” e “Vinyl”, produzida pelos fodões Martin Scorsese e Mick Jagger, frontman dos Rolling Stones.

 Vinyl (HBO)

Vinyl (HBO)

Após três temporadas góticas ambientadas na Londres Vitoriana, “Penny Dreadful” chegou ao fim sem alarde. Seu criador, John Logan, disse que não quis alardear o término da série para evitar que a base de fãs ficasse emotiva. Eita desculpinha furada... bom, fica aqui a torcida para a atriz Eva Green ao menos ser indicada ao Emmy, porque o que ela atinge nessa série é coisa de louco. As indicações serão anunciadas no dia 14 de Julho.

 Personagens da série Penny Dreadful

Personagens da série Penny Dreadful

Já a HBO desplugou “Vinyl” e deu mais uma justificativa sem nexo em um comunicando dizendo que precisaram cancelar a série e que a emissora tem carinho e respeito pelos idealizadores. Se “Vinyl” já tinha status de cult antes mesmo de estrear, imagina agora que só conseguiu emplacar uma única temporada de 10 episódios.

Na mesma medida que algumas são canceladas pela falta seja lá do que, outras são estendidas e fazem hora extra porque caíram no gosto do público. Eu ouvi alguém gritar Grey’s Anatomy? The Big Bang Theory? É a dança das cadeiras em Hollywood e quem opera a máquina de som é o capitalismo. Dança quem pode, né?