2017, o ano em que (re)descobriram Stephen King

2017, o ano em que (re)descobriram Stephen King

Para os fãs do prolífico autor norte-americano Stephen King, 2017 foi um prato cheio. Mesmo quem não leu nada escrito por King, pode-se dizer familiarizado com a sua bibliografia, já que Hollywood é uma fã declarada das histórias macabras narradas por ele, então os produtores compram os direitos autorais e adapta os romances para o cinema ou em formato de séries para a TV.

Popload ou como humilhar festivais com apenas 6 atrações

Popload ou como humilhar festivais com apenas 6 atrações

O Popload Festival, que rola nesta semana em São Paulo com line-up bem enxuto de apenas seis atrações, não fica devendo em nada para outros festivais que lotam a programação para tapar buraco. Isso é o que uma boa curadoria faz: pesquisa e rastreia o que de interessante está tocando no Brasil e mundo, articula agenda de artistas novos e consagrados, preza pela qualidade musical...

Glup! Já experimentou a linha de cervejas do Rock and Honda?

Glup! Já experimentou a linha de cervejas do Rock and Honda?

Atualmente, contamos com cinco sabores diferentes para agradar aos mais diversos paladares: American Pale Ale, Lager, Weizen (trigo), Witbier e Chocolate Porter. Abaixo, o Buda deixa uma breve descrição sobre cada rótulo. E já que lendo você, prezado(a) leitor(a) maior de 18 anos, não sente o sabor, fica o convite para comparecer pessoalmente a uma de nossas unidades degustar uma ou duas, quem sabe três de nossas cervejas. Estamos em outubro, vai sem culpa.

“Bendito seja o fruto”: a merecida consagração de ‘The Handmaid’s Tale’ no Emmy

“Bendito seja o fruto”: a merecida consagração de ‘The Handmaid’s Tale’ no Emmy

A série é baseada no romance “O Conto da Aia”, lançado em 1985 e escrito pela canadense Margaret Atwood. A história se passa num futuro distópico não muito distante em que a sociedade foi segregada em castas de acordo com o papel que você desempenha no mundo, ou melhor, que Deus escolheu para você desempenhar no mundo, a sua missão.

Tatá Werneck e o humor farofa que conquistou o Brasil

Tatá Werneck e o humor farofa que conquistou o Brasil

Raramente o Buda faz alguma postagem falando da TV brasileira, porque a programação das emissoras abertas e fechadas quase sempre é bem descartável, vamos ser francos. Mas também vamos reconhecer: há alguns programas que valem a pena a sentada no sofá por serem ousados e injetarem algum tipo de originalidade seja na abordagem jornalística, seja nos humorísticos, até uma ou outra telenovela. Um exemplo bem bacana é o “Tá no Ar”, exibido pela quadradíssima Rede Globo. Tem momentos inspirados, é engraçado, é um frescor, porém não conquistou o público órfão e carente de enlatados enfadonhos do naipe Casseta e Planeta e Zorra Total. Mas não surpreende, porque a pegada do humor é outra, é para telespectadores mais seletivos, tem umas referências ali que nem todo mundo saca a ironia.

Dia Mundial da Saúde e ‘nóis tá’ como?

Dia Mundial da Saúde e ‘nóis tá’ como?

Não há dúvida que toda essa questão de autoestima zero está também ligada à saúde. Adotar práticas saudáveis, entretanto, não vai ser a cura dos seus problemas. Vai ajudar, com certeza, mas não vai ser a solução. E ninguém aqui está falando para você, leitor(a), começar na segunda-feira uma dieta rigorosa ou se matricular amanhã na academia. Defendemos que o conceito de saúde é a pessoa se sentir em paz, feliz e satisfeita com o que ela é – mas alimentos saudáveis e mexer o corpo de vez em quando também não faz mal pra ninguém, a gente recomenda.